21 outubro 2009

Chantilly?

Adoro observar as pessoas em restaurante. E se estou próxima sempre fico antenada tentando escutar a conversa alheia.
Se isso acontece quando estou acompanhada, imagina quando estou sozinha!
O que acho curioso é justamente aqueles casais que mal trocam olhares durante o jantar. Palavras, então. Artigo de luxo. Normalmente é visível quando o casal está brigado. Mas quando percebo que eles simplesmente são assim, fico chateada. Chateada porque não existe coisa mais triste que um casal sem assunto pra um jantar romântico.
Sábado fui sozinha a um bistrô muito gostoso. E sentei na mesa ao lado de duas mulheres. Pela semelhança física deveriam ser mãe e filha. Sem brincadeira, até eu que estava sozinha, falei mais durante aqueles 60 minutos. Elas não trocavam uma palavra! Chegou a salada. Chegou o prato principal, o segundo suco. E nada. Daí, sem mais nem menos, a mãe levanta e vai em direção ao banheiro. Antes de sair da mesa nem um "vou fazer xixi". Nesse meio tempo a sobremesa chegou - a mesma que eu havia pedido-. Quando a mãe voltou e viu o merengue com morango no prato disse:
- Chantilly?
A filha concordou com a cabeça e só então tive a certeza que elas não eram surdo-mudas. Resumindo: elas ficaram uma hora comendo uma comida deliciosa sem sequer trocarem olhares de cumplicidade ou pequenos comentários sobre o ponto da carne, que fosse.
Toda essa história era só pra mostrar que a solidão e o silêncio estão dentro de cada um de nós.
Certamente, quem chegava ao restaurante e me via só numa mesa pensava: - Coitada! Almoçando sozinha em pleno sábado...
Mas sinceramente duas pessoas sem assunto uma com a outra são e estão muito mais sozinhas que qualquer pessoa desacompanhada.
Eu estava só, mas devo confessar que não preciso de muito mais que uma taça de vinho e outra de morango com chantilly pra ter um almoço gostoso. Mais duas pequenas coisas que descobri me darem aquele enorme prazer da pequena felicidade cotidiana.
(Texto de Bruninha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário