09 outubro 2009

Minha Páscoa Inesquecível

Nos idos de 1987, meus pais estavam sem fazer nada em casa, a situação era miserável e nem televisão eles tinham. Em 1988, eles sairam correndo pro hospital porque o fruto daquela época onde eles não podiam assistir o Jornal Nacional estava nascendo. Apesar de já ser bem grandinho (sabia até me limpar depois de ir ao banheiro!) resolveram me deixar na casa de uma tia. Bom, pra vocês terem uma idéia eu preferia a companhia do monstro do armário e do bicho papão. 55 anos, morava com 8 gatos e fumava 4 maços de Free por dia. É praticamente um playground pra um moleque de 4 anos. Vendo meu descontentamento, ela teve uma idéia simplesmente genial: dar uma volta, espairecer, ir num bingo, essas coisas que só uma baby sitter altamente capacitada faria. A gente chegou lá e depos de 15 minutos eu já ganhei meu primeiro presente: um enfisema pulmonar. Não sei se vocês já entraram num bingo, mas lá parece um grande crematório. Você vê cinzas por todos os lados e pessoas que se continuarem a fumar assim vão virar cinzas com a mesma velocidade com que acabam um maço de Derby Light. Depois eu comecei a fazer o que qualquer criança de 4 anos faz quando está contente em um lugar: gritar, correr e espernear. Bem, eu parei quando uma velha perdeu a conta por minha causa e ameaçou usar minha língua como cinzeiro. Às 3 horas da manhã, minha tia já não tinha mais nenhuma uma nota de 10 mil cruzados e fomos embora com ela reclamando que isso era tudo armado e que ela ia processar aquela espelunca. Eu estava morrendo de fome e pedi pra ela me comprar pelo menos um guarda-chuvinha de chocolate. Ela prontamente me respondeu: - Chocolate só na Páscoa. Estamos em agosto.
(Texto de orabujo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário