31 agosto 2010

Dedilhada não mais

"Eu só sei que não quero viver uma vida dedilhada, cansei de pensar demais, e os erros meus não são iguais aos erros que deixei pra trás, e aqueles velhos medos não assustam mais."
(Dedilhada - Sandy Leah)
Hello people!!! Não me lembro se já cheguei a mencionar alguma vez aqui no blog que sou fanzérrima da Sandy (Sandy Leah), ohh! Sou sim, hehehe. Eu cresci acompanhando a carreira dela, admiro demais a voz, personalidade, a maneira como se comporta, e... não vou mentir!! Me espelhava nela (e acho que influenciou bastante na minha personalidade). Sim, sim! Mais não chego a ser aquelas fãs alienadas que vivem em função do seu ídolo (sou contida) Rs - gosto de ver seus trabalhos, ver os looks (sempre lindos), gosto de curtir sua música, só...kkk, e o marido já tira onda de minha cara (pode?!?) =P
Mas, agora falando da música...Quando a ouvi de cara me identifiquei (até parece que "Manuscrito" é uma releitura de minha vida) Rs. E a letra é tudo,,, "simplesmente cansei de pensar demais (criar minhocas na cabeça) e daí percebi que não cometia (e nem iria mais) os erros de antes, agora não quero mais viver uma vida por partes (dedilhada) e sim intensamente.


Xoxo 'Gossip Girl'!!

27 agosto 2010

Trava!

Eu novamente aqui... há bastante tempo venho tentando deixar o blog mais minha cara, mais "meu" sabe?!? Mas o pequeno grande problema é que eu não gosto de falar de minha vida (hehehe), e principalmente abertamente assim (em um blog)... Tudo bem, eu sei que isso é indício de uma pessoa anti-sociável, mas eu sou!! rs. Eu visito tantos blogs que chego a chorar, dar risada, critico, fico indignada, sinto pena e algumas vezes me dá vontade de ser a melhor amiga da pessoa que escreve (de tão bacana poxa),,, É até engraçado, agora por exemplo, eu estou aqui juntando os meus pensamentos soltos, mais íntimos, e digitando para o "público" que eu não faço idéia de quem é, que vai ler, e só? rsrs. Admiro sim, quem escreve, e escreve muito bem, e do que tem vontade,  faz desse cantinho uma válvula de escape. Quem sabe um dia eu esteja aqui relatando um dia completo meu! Hum, quem sabe. Mas por hora deixa eu tentar juntar esses devaneios e transformar em algo com fundamento...kkkkk. Não gosto de me sentir como se estivesse em um reality show, que todos saibam da minha vida, mas sinto uma grande necessidade de compartilhar a enorme bagagem que o tempo me deu o prazer de carregar, não quero que todos saibam o porque de eu querer dar o nome Marcela a minha filha, não quero que saibam qual o meu esconderijo, nem qual a minha fortaleza - porque eles são só meus. E ai chega a parte boa: A gente só mostra o que nos convém!

26 agosto 2010

Flores...

"Olhei até ficar cansado
De ver os meus olhos no espelho
Chorei por ter despedaçado
As flores que estão no canteiro

Os punhos e os pulsos cortados
E o resto do meu corpo inteiro
Há flores cobrindo o telhado
E embaixo do meu travesseiro
Há flores por todos os lados
Há flores em tudo que eu vejo

A dor vai curar essas lástimas
O soro tem gosto de lágrimas
As flores têm cheiro de morte
A dor vai fechar esses cortes
Flores, flores
As flores de plástico não morrem
Flores, flores
As flores de plástico não morrem"


Ui! Dá uma vontadezinha de chorar ouvindo essa música (pense em uma dificuldade pra colocar um player de música aqui... desisti!)...
Sei lá, as flores que ela se refere aí pra mim é como se fosse... as pessoas, parece que mesmo havendo tanta gente perto, a solidão lhe agarra... acho que tem alguma coisa a ver com falsidade - "as flores de plástico não morrem".

Humm, sabe aquele coisa que você não sabe explicar, colocar pra fora... é isso.

Viajei, mas tudo bem.
To be continued...