26 agosto 2010

Flores...

"Olhei até ficar cansado
De ver os meus olhos no espelho
Chorei por ter despedaçado
As flores que estão no canteiro

Os punhos e os pulsos cortados
E o resto do meu corpo inteiro
Há flores cobrindo o telhado
E embaixo do meu travesseiro
Há flores por todos os lados
Há flores em tudo que eu vejo

A dor vai curar essas lástimas
O soro tem gosto de lágrimas
As flores têm cheiro de morte
A dor vai fechar esses cortes
Flores, flores
As flores de plástico não morrem
Flores, flores
As flores de plástico não morrem"


Ui! Dá uma vontadezinha de chorar ouvindo essa música (pense em uma dificuldade pra colocar um player de música aqui... desisti!)...
Sei lá, as flores que ela se refere aí pra mim é como se fosse... as pessoas, parece que mesmo havendo tanta gente perto, a solidão lhe agarra... acho que tem alguma coisa a ver com falsidade - "as flores de plástico não morrem".

Humm, sabe aquele coisa que você não sabe explicar, colocar pra fora... é isso.

Viajei, mas tudo bem.
To be continued...

2 comentários: